sir lancelot

Forum Replies Created

A visualizar 15 artigos - de 1 a 15 (de um total de 58)
  • Posts
    • in reply to: funana
    sir lancelot
    Participante

    …Tava o peixinho, e veio o gato, e comeu-o (glup)

    E veio o cão, e o gato teve de se esconder,(glup)

    E veio o coelhinho…Não, não, o coelhinho foi com o Pai Natal e o palhaço no comboio ao circo !

    Era assim a história ! Nesta, o coelhinho tinha mais sorte que o do João !

    sir lancelot
    Participante

    Só mais uma pequena achega…”Cretcheu”, é a contração das plavras crioulas “crer”, ou, em português, “querer”, e “tcheu” que em crioulo, significa “muito”. Então, “cretcheu” literalmente significa “querer muito”. E “nha cretcheu” (“nha” vem de “minha”), significa portanto “minha querer muito”, ou…Meu Amôr.

    sir lancelot
    Participante

    ushuaia,

    Vamos lá a ver se a gente se entende…

    Na sua primeira intervenção, e que deu origem ao tópico, dizia assim :-“As operadoras terão de baixar os preços…etc”. E foi com base neste pressuposto, que fez as restantes considerações.

    Agora, já põe a responsabilidade da falta de infraestruturas de apoio ao turismo no Governo…E assim, já não estamos (parece-me) a falar da mesma coisa !

    Depois, compara Cabo Verde com os Açores…Que na minha opinião, de comparável só tem o facto de serem igualmente 9 ilhas (CV tem 10, mas Sta Luzia não conta), tudo o resto é diferente. Mas, para alem do mais, o destino Açores, está longe de ser um destino barato! E, não era de destinos baratos que se pretendia falar ?

    Só dei o exemplo dos turistas alemães, porque comparou a travessia do canal de S.Vicente/Sto Antão com a navegação entre o Sal e a Boavista ou entre Santiago e Fogo. É claro que é possivel, mas com navios semelhantes aos dos Açores (catamrans)e não com as embarcações de transporte existentes e/ou aquelas que fazem a travessia do dito canal.

    Falou muito bem quando disse que os Açores têm 4 (quatro!) aeroportos Internacionais…Afinal veio precisamente ao encontro daquilo que eu dizia em termos de desenvolvimento turistico. E as marinas, e os portos de recreio !!!É exactamente TUDO isso que neste momento falta em Cabo Verde para se desenvolver em termos de arquipélago, como destino turistico. E, voltando ao principio, não são os Operadores que têm culpa, e mesmo que por absurdo fossem agora baixar os preços, em nada isso alterava os “statos quo” do País a este nivel.

    Conheço bastante bem os Açores, e quando digo que o Governo Regional pretende desenvolver mais o turismo porque acha que ainda hà muito para desenvolver (e eu tambem) sei do que falo.A marina da Horta movimenta os tais 1.200 veleiros por ano, fundamentalmente pela sua posição geografica, e não por dar condições fantásticas aos navegantes. Estive lá umas…20 vezes, e sou do tempo em que a marina não existia, nem no pensamento dos mais optimistas. Ainda assim, no cais estavm em permanencia atracados quase sempre uns 30 a 40 veleiros. Era no tempo em que o Peter’s vendia o Gin barato, que guardava a correspondencia e os recados e que no 1ºandar estava um senhor que fazia os desenhos nos dentes de cachalote. Ora estes veleiros, não iam à Horta para usufruirem das condições da marina (inexistente) mas para descansarem da travesia entre os dois continentes, fazerem aguada, meterem frescos e (eventualmente) combustivel.

    Concluindo…De facto, faltam imensas estruturas de recepção ao turismo em Cabo Verde. Há imenso para se fazer por forma a se tornarem as outras ilhas num destino turistico apetecido. Mas isso é um problema politico, e não dos Operadores Turisticos !
    Assim, se fôr essa a vontade dos Governantes, e se tiveram capacidade financeira para o fazer, que o façam, porque de certeza, os Operadores irão de seguida.

    Um abraço

    P.S.-Não sou, nunca fui, nem tenho qualquer interesse em nenhum Op.Turistico !

    sir lancelot
    Participante

    Catia,

    Telefona para o hotel, pede para falar com o Director (é português), e diz-lhe que tens a passagem para esse dia,e que gostarias muito de ficar nos bungalows mais recentes. Pede para ele reservar já um.

    Tel: 00238 2421476

    Boa sorte

    sir lancelot
    Participante

    Morgana,
    .
    …O Hotel Belohorizonte, que é vizinho do Novorizonte, é do mm grupo hoteleiro, funciona em diversos regimes (APA, MP, PC) ao contrário do outro, que só funciona com TI (Tudo incluido). Assim, e quanto ao regime escolhido, eu teoricamente (e já vai ver porquê só teoricamente mais à frente) sugeriria a MP, já que a maior parte dos dias vcs vão passá-los na praia, pelo que o almoço se resolve com sandes e sumos…
    Agora quanto aos bungallows, hà alguns já antigos que irão ser remodelados brevemente (segundo o Director), enquanto outros (mais modernos) são maiores e bem melhores…só que, estes ficam na area do Novorizonte, ou seja, na area do TI !! (Atenção, que por vezes, o hotel pôe pessoas com TI tb nos bungalows antigos !)
    Houve uma vez, que nos puzeram (a mim e à minha mulher) num dos antigos,e não gostámos nada da noite que lá passámos. Mas depois tivemos a sorte de alguem se ter apercebido que havia algumas ligações com a Administração do hotel, e quando estávamos a tomar o p.almoço, o director veio comunicar-nos que iriam mudar as nossas roupas para o edificio principal…
    Agora, e como costumo ir em trabalho, marco sempre para esse edificio. No entanto percebo, para quem vai de férias, que perfira os bungalows na areia.
    Ou seja, talvez o correcto será que a Agencia marque no Novorizonte, num Bungalow dos novos, e haja a certeza da disponibilidade destes.

    Quanto ao Funaná (e não Fugaga) é um hotel imenso, com imensa gente, com a pior praia, e varias piscinas todas cheias de pessoal a torrar.

    Os outros, são (quase) todos italianos, feitos por italianos para italianos, tirando o Morabeza, que é o mais cosmopolita, com melhores apoios de praia, mas que não tem os tais bungalows na areia !

    Atenção…Os bungalows são na areia, mas a maior parte deles não estão propriamente voltados para o mar !

    sir lancelot
    Participante

    Ushuaia,

    Vamos lá por partes…

    Os voos, só ficam mais baratos, se houver o chamado “turismo de massas”, ou seja, se os Operadores Turísticos conseguirem um numero suficiente de turistas que regularmente queiram ir até ao destino. Assim têm possibilidade de fretar um avião (charter)correndo ainda assim os riscos inerentes, já que as reservas dos lugares são feitas com antecedencia e prevendo que na data “tal”, haverá um “x” numeros de marcações. Caso as previsões saiam “furadas”, os Operadores perdem dinheiro.

    Como muito bem sabes, já que conheces tão bem as outras ilhas do arquipélago, não ha (ainda) possibilidade de massificar o turismo para aquelas, e por isso, não hà voos charter directos às outras ilhas. E isto acontece porque (exceptuando muito recentemente Santiago) não hà aeroportos internacionais, e consequentemente os turistas têm de mudar de avião não só com o incómodo que isso acarreta, mas tambem com o risco de as bagagens ficarem para tràs (aconteceu-me inumeras vezes). Os outros, como tu que não se importam de ir “pulando” de ilha em ilha têm a opção de viajar nos voos domésticos como faz qualquer caboverdeano, e aí, quem dita os preços é a Companhia Aerea nacional, os TACV, e não hà muito a fazer (mesmo para os Operadores).

    Quanto a viajar de barco entre o Sal e a Boavista, ou entre Santiago e o Fogo ou Maio…Comparativamente com a viagem entre S.Vicente e Sto Antão…Bem, enquanto entre estas duas ultimas Ilhas são separadas por um canal, as outras que mencionas, têm um mar imenso a separá-las, e nunca muito amistoso !! É facil imaginar uma familia de turistas alemães deitados em cima das malas Samsonite novinhas, no chão da embarcação, a ver quem vomitava mais…E a perderem dois dias de ferias do pacote de seis a “chamar pelo Gregório”.

    Finalmente, se leres um pouco melhor aquilo que escrevi, vais ver que eu não digo que os restaurantes(ou os bares) estão cheios. Digo (e refiro-me aos restaurantes)que se eles continuam a praticar os preços absurdos que praticam, é porque concerteza têm clientela…Senão talvez os baixassem, não achas ? E já agora, das inumeras vezes que tenho ido ao Sal,(e não tenho lá ido apenas na epoca baixa…) vou religiosamente ao Americo’s pelo menos uma vez…E nunca lá estive sem que ele estivesse cheio, ou acabasse por encher durante o tempo que durou a minha refeição. Mas se calhar, é só o Americo’s…

    Não sei onde é que na minha mensagem eu falo que “os preços são medios”…Mas vê lá bem, que S.Tomé é muito mais caro, e a Turquia e o Egipto, caem exactamente naquele turismo de massas que eu falei.

    Só mesmo para acabar, e respondendo à Telma…Desde o ano passado que os voos para Cabo Verde foram liberalizados, tendo os TACV e a TAP perdido o exclusivo nas viagens de e para a Europa (pq para os outros Continentes não tinham). Tanto assim, que neste momento, a Air-Luxor continua a operar para lá, mesmo depois de falir (Air Luxor Cabo Verde), e a Air-Atlantic tambem.
    Quanto à formação dos Operadores Hoteleiros…Tens toda a razão, mas…como é que se faz isso ???

    sir lancelot
    Participante

    Ushuaia,

    Tens toda a razão, mas…

    Os voos estão cheios, porque mesmo com os preços caros, os turistas continuam a acorrer a Cabo Verde. A taxa de oucupação media dos hoteis, ronda os 80%, que é muito superior ao Algarve, por exemplo.

    Assim, não hà nenhuma razão para que as Operadoras baixem os preços, já que têm o destino vendido a preços altos…Os hoteis, estão cheios, os TACV não têm lugares disponiveis, os restaurantes e os bares usufruem desta enchente (na realidade, os restaurantes nem tanto, já que muitos dos turistas vão em regime de TI, mas mesmo assim praticam preços desporporcionais…e se os praticam, é porque podem, ou seja, se podem, é porque têm clientes…), os transportes terrestres não existem excepto as empresas de “rent-a-car” e essas têm sempre os carros alugados, transportes marítimos são incipientes em termos turisticos, (pelo que não deverão contar para esta análise), e as lojas de (falso) artezanato, enquanto forem proliferando como acontece, é porque não têm problemas (já vimos que há turismo mais que suficiente).

    Não vejo mal nenhum em o destino ser “altamente lucrativo” para os Operadores (e na realidade não é tanto assim, já que têm de pagar os hoteis e o transporte a preços igualmente altos). É a lei da oferta e da proucura, ou a lei de mercado. Assim, se por absurdo, os Operadores fossem baixar agora os preços (qd. como tu dizes, têm os voos cheios nos próximos dois meses), quem ficaria a lucrar seriam realmente “apenas” os turistas, e a perder, os proprios Operadores, os hoteis, e as Companhias aereas, que não estão lá para perderem dinheiro !

    Cocluindo: É realmente um destino caro (a Boavista sê-lo-à ainda mais)mas beneficia de estar a 4 horas de voo, em média, das principais capitais europeias, por oposição ao Brasil e às Caraibas. E as coisas são assim que funcionam! O que CV precisa realmente, é prestar mais atenção à formação profissional das pessoas que trabalham no turismo, para assim poderem corresponder aos preços praticados com a qualidade de serviço exigido por quem paga aqueles preços.

    • in reply to: mergulho
    sir lancelot
    Participante

    Santa Cruz,

    Há por aí um bocado de confusão…Vamos a ver se eu me lembro do que aprendi, e se consigo explicar :

    Como sabes, o ar que respiramos é constituido por 1/5 de Oxigénio, e 4/5 de Azoto (ou Nitrogénio), e é precisamente esse nitrogénio que quando respiramos o ar comprimido (e não o oxigénio) da garrafa (já agora, não é botija), que fica dissolvido no sangue. Por isso, quando subimos depressa de mais, ou não fazemos os patamares de descompressão (se necessários), aquele nitrogénio ao ser descomprimido rapidamente pela diminuição de pressão, solta-se em bolhas e pode originar um acidente grave. Quanto ao mergulhar antes de uma viagem de avião (e depois tambem) é realmente perigoso, e deve-se aguardar 24 hrs (na opinião do Luis, 12…mas acho curto)para que o tal azoto, que ainda permanece dissolvido no sangue mesmo depois do mergulho, acabe por se libertar completamente antes de nos sujeitarmos de novo às pressões mais elevadas dentro do avião, o que poderá levar a que, quando ocorre a aterragem e consequente descompressão, ele se solte em bolhas com os riscos já falados. Quando aos mergulhos depois da viagem, são perigosos, porque aquelas (as viagens) desidratam-nos e o nosso corpo quando desidratado dissolve com mais dificuldade o azoto e assim, mesmo que subas devagar, há sempre o risco acrescido de se soltar algum bolha. Já agora uma estatística…Nas viagens de mergulho organizado para as Caraibas, até 1994, foram registados 88 acidentes, dos quais 37,5% no primeiro dia (logo a seguir à chegada do voo). Os restntes 62,5% registaram-se ao longo dos restantes 6 dias, o que dá uma media diária de 10,4%. E a explicação entretanto apontada, era precisamente a falta de resguardo das 24hrs a seguir à chegada.

    sir lancelot
    Participante

    Caros amigos,
    Ainda bem que este assunto está dar alguma polémica. Significa que todos nós estamos preoucupados com o que se tem feito do Sal. Penso que o Governo de Cabo Verde ainda está a tempo de travar esta explosão desenfreada de construções…Ou talvez não! Toda a area da “Ponta Preta”,da qual o hotel Riu apenas oucupa 2(dois) lotes já está urbanizada e infraestruturada. Ou seja, para muito breve vão começar a surgir mais alguns hoteis (previstos mais 4), mais apartamentos de ferias com serviço de hotel, moradias para férias, etc,etc. O Sal, como “terra sabe/terra pura” irá efectivamente desaparecer a curto prazo. Contrariando aparentemente o que eu disse acima, o Governo realmente pode, mas efectivamente não quer travar este “status quo”.
    Estive ha uns meses num seminário com o Ministro da Economia de Cabo Verde, seminário esse dirigido à captação de investimento estrangeiro. E pasmei ao ouvi-lo (quando o assunto era turismo) a referir apenas e só, o desenvolvimento sustentado e cuidado previsto para a Ilha da Boavista. Só pretendia explicar os projectos para a Boavista, embora admitindo todos os erros praticados no Sal. Ou seja, era um discurso de “terra queimada”, do tipo “O Sal tem grandes erros, por isso vamos deixá-lo entregue à sua sorte. Em contrapartida, iremos tentar não os cometer com a Boavista”. Tentei, na altura chamar a atenção para a ainda possivel “salvação” do Sal,e lembra-lhe que havia empresários que haviam apostado naquela ilha, e não deveriam ser deixados “à sua sorte” mas o sr. havia já e apenas vestido a camisola da Boavista (não do Boavista, nada de confusões !)e não queria ouvir mais nada. Só que, mesmo na Boavista, o que está programado são tudo resorts de luxo, e uma tentativa de levar a população a pôr uma máscara e fazer de conta que são todos muito tipicos e que gostam imenso que os turistas ricos andem por lá a tirar fotos às suas casinhas…

    Acho, que em breve, apenas vai sobrar (para o turismo de Sol e Praia) a Ilha do Maio, já que as outras, que são efectivamente fantásticas, não possuem exactamente aquelas características. O “Ushuaia” tem realmente razão no que diz respeito a “Santantão”, mas quanto aos Açores…Na verdade as ilhas são lindíssimas, mas é tambem verdade que têm tido alguma dificuldade em se afirmarem como destino turístico. E se os Açoreanos podem esperar, já que têm outras riquezas, já os Caboverdeanos poderão não dispôr de tanto tempo assim, uma vez que as ajudas economicas dos Organismos Internacionais de apoio ao desenvolvimento, por via da boa execução e administração dos programas de apoio por parte de Cabo Verde, vão a medio prazo diminuir substancialmente (é utópico, mas é assim que as coisas funcionam…).

    Não sei o que vai acontecer à Vila de Santa Maria no futuro, mas sei que ela já perdeu completamente a personalidade e a verdade de tempos atràs, com a proliferação de lojas de “souvenires” que vendem todas as mesmas coisas. Os locais, se lhes perguntarmos, estão contentes com o “desenvolvimento”, e assim, faz-me pensar, se será justo queremos recuperar memórias de tempos em que efectivamente havia mais verdade, mas tambem muito mais pobreza.

    sir lancelot
    Participante

    Já agora e ainda…Ao contrário do que os outros hoteis temiam, a taxa de oucupação media, após a entrada em funcionamento do hotel RIU, não diminuiu, antes pelo contrário. Como passou a haver mais voos “charter” para o Sal, e Cabo Verde passou a ter maior visibilidade no mercado alemão, por via da publicidade feita pelo RIU, houve um acréscimo significativo de turistas, e um decréscimo no preço das viagens.
    Tambem acho que poderá ser excessivo o aumento de oferta, mas na realidade, estes turistas vêm, como foi dito,com TI, e no caso do RIU, a maior parte só sai do hotel em excursão…Ou seja, nem se dá por eles, e portanto, se não trazem riqueza (os turistas, porque o hotel claro que tràs, como factor de desenvolvimento, i.e. taxas, serviços, mov. bancária, fluxos de dinheiro, consumo de combustiveis, aguas, electridade e sobretudo, empregos), tambem não são fonte perturbadora do ambiente.
    Por outro lado, o grande Complexo que está a ser construido, está a sê-lo num local ermo, seco e agreste, que tem a sua beleza própria, mas que na realidade, mesmo o turista mais poético, passa por lá sem se fixar em local nenhum especial, porque realmente, não tem nada para ver. Locais como aquele, hà aos montes ao Norte da ilha. É só alugar um jipe e partir.
    A poesia é boa enquanto não fôr prejudicial às populações. Travar um agente de desenvolvimento da propria ilha, que vai criar ele próprio riqueza, da qual as populações vão efectivamente beneficiar (desde a primeira hora com a construção) parece-me no minimo injusto para os que lá vivem e amargam com a escassez de recursos.
    Só para acabar, comparativamente ao custo de vida e à capacidade de produção de riqueza do país, os trabalhadores Caboverdeanos, não são assim tão mal pagos, como a principio se pode julgar. Só assim se explica a tendencia de muitos quadros formados no exterior, em voltar para trabalhar no seu país, e na verdade, não ha uma grande discrepancia entre os vencimentos dos licenciados e dirigentes e dos outros trabalhadores.

    Sei que fui pouco diplomata e politicamente incorrecto, mas lançar alguma polémica é tambem salutar e necessário.

    Fico à espera das vossas opiniões.

    sir lancelot
    Participante

    Confirmo que o RIU está a aumentar a sua capacidade de 500 para 1000 quartos (2000 camas aprox.). Estava já previsto este aumento, mas só para daqui a algum tempo, consoante as coisas se corressem com os primeiros 500. Correram tão bem, que anteciparam a construção da 2ªfase.
    É tb verdade, que o grupo Stefanini (dono do Djad Sal e do Creoula), comprou os terrenos das salinas de Pedra de Lume, ou (noutra versão) os terrenos adjacentes às salinas. Tem, no entanto, tido alguns problemas em iniciar a construção, já que têm, no Governo de Cabo Verde, algums opositores, que estão a tentar que as Salinas sejam declaradas patrimonio de Estado de C.Verde, e consequentemente anular a venda (que é efectiva). É claro que tudo isto tem corrido pelos tribunais, e a decisão não deverá ser para breve. Quanto ao Centro de Massagens, é só uma barraquinha com duas marquesas, e daquilo não vem mal ao mundo (só bem, pq mesmo ao lado ha uns duches de agua doce (100$00) que alivia o sal acumulado na pele depois do banho). Não sei se realmente aquilo(as “massagens” e os duches) será dos italianos…parece-me mais “coisa” de Caboverdeanos.
    Por detràs do Djad Sal, está em fase final uma construção azul “cueca” enorme, que igualmente pertence ao Stefanini. São(serão) apartamentos turísticos. Entretanto, por tràs do RIU, está a ser construido um pequeno hotel (Sabura…acho) que pertence a um grupo espanhol(Canário). Ao lado do DjadSal, e ainda pertença do mesmo grupo italiano, começou hà algum tempo a ser construido um hotel de 5*, mas por razões q desconheço, a construção tem estado parada. E o que o nosso amigo que lançou o topico provávelmente se refere, é a construção de um complexo turistico enorme,chamado “Murdeira Village”, que já começou a ser construido, a seguir ao Complexo da Murdeira (a funcionar)…Será ??

    sir lancelot
    Participante

    Caros amigos do forum…Sinceramente não estava nada à espera que “tambem” dessem pela minha falta. O João, pelo que eu percebi, é efectivamente a trave mestra do forum, eu não cheguei a ser nada, já que tive muito pouca contribuição para o fantástico sucesso deste nosso “canto de conversa”. Daí, ter sido completamente inesperado o e-mail que simpáticamente me foi enviado pelo ricardopitbull, a saber de mim, e as referencias que aqui me foram feitas. A todos, muito obrigado !
    A razão do meu “desaparecimento”, deve-se tão só a um acréscimo de trabalho e (como eu disse ao ricardo), a uma má gestão do tempo disponivel.
    Pontualmente tenho ido ao Sal (trabalhar, trabalhar, trabalhar), sendo que os escritórios que por lá me apoiam, são no aeroporto…Ou seja, se houvesse um hotel (ou mm um quartito…) ao lado da pista, nem de lá saía !!! por isto tambem, destas viagens recentes,nada ficou para contar…Mas tenho ainda alguma coisa das outras, das antigas…mas agora não posso. Lanço, no entanto aqui a pergunta: Alguem conheceu o Cmdte Honório, dos TACV ?

    Eu depois conto uma “estória” dele !

    Mais uma vez obrigado a todos…Beijinhos e abraços

    sir lancelot
    Participante

    Antonio Pedro Pina,

    Pois é…Já estive em Cabo cerde no seculo passado, e nota-se !!!
    Obrigado pela correcção. Já agora, talvez queiras esclarecer o Lobsang.

    Um abraço

    sir lancelot
    Participante

    Lobsang,

    Quem sabe isso muito bem é o Antonio Pedro Pina, que em outro tema deste forum (eu fiz uma proucuara rápida mas não encontrei) fala exactamente das ligações por navio entre as ilhas. Pode ser que ele leia e te dê a informação, senão, tenta fazer uma proucura mais atenta que a minha.
    Outra dica: Acho que a empresa que tem os navios se chama “Arca Verde”. Quem sabe se na Internet encontras algo.

    Um abraço, e boas viagens.

    Ricardo Pit Bull,

    Então só te sentes segurA ???? SEGURA ?? Hum…Entendi….Medinho do mar, e tal !!Essa do Pit Bull é pra enganar !!!

    Brincadeira !! Não leves a mal! Se puderes, vai mesmo no Crioula. O navio foi construido para apanhar mar a sério (é um lugre do bacalhau), é seguríssimo, e balança pouco, sobretudo quando navega à vela.

    Um abraço

    sir lancelot
    Participante

    Cleopatra,

    Obrigado pelas palavras de incentivo. Realmente este forum vicia, porque fala de coisas que amamos. Vicio “sabe” !

    Bjocas

A visualizar 15 artigos - de 1 a 15 (de um total de 58)