agost.

Forum Replies Created

A visualizar 2 artigos - de 1 a 2 (de um total de 2)
  • Posts
    agost.
    Participante

    Sr. Artur; Nao se pode conhecer um Pais, apenas por uma visita ainda por cima quando um Pais e constituido por dez ilhas, nove habitadas. Falas sobre o Policiamento e tenho certeza que nao sabes como funciona a instituicao nao se pode ter um Policia para cada turista; falas que tudo pode se perder, como podes fazer uma afirmacao tao absurda? Nao acredito que a palavra “bombordeado” e correcta porque sendo cabo-Verde um Pais de Turismo nao poderias esperar outra coisa, senao vendedores tentando “fazer o seu pao”, vendendo recordacoes de C.Verde para aqueles que realmente gostam de C.Verde( pelo que li nao podias ter comprado obviamente). Interesante e que comesaste a falar “gostei de C.Verde porque tem contrastes relevantes”, mas lendo todo o conteudo do texto fiquei com a sensacao que no fundo o querias afirmar que nao gostastes de nada. Vivo num pais considerada desenvolvida com capaciade de responder os anseios dos cidadoes mas nem por isso deixa de existir roubos e olha que em C.Verde posso andar a qualquer hora de dia e noite, tomar um “groguinho”, saboreando uma boa caldeirada e se eu entender posso amanhecer na praia, saboreando aquele clima e aguas cristalinas, e voltar novamente para disfrutar a vida- Medo??? Porque ei de sentir??Espero que na tua proxima visita, possas deixar “paranoia” de lado e disfrute realmente aquilo que “MEU” Cabo-verde tem para oferecer; porque se sentiste inseguro num Pais pacato, tranquilo, com um povo amavel, que diras se visitares a California, ou Las-Vegas entre outras cidades aqui, onde a tao conhecida frase reina”Salve-se quem poder”. Um abrasao.

    agost.
    Participante

    Ola Andrea parabens por seres uma “criola” de alma. Eu que sou um caboverdiano de corpo alma, quando vejo pessoa de outra nacionalidade a falar assim do meu Cabo verde para mim essa pessoa nao e so de alma mas sim de corpo e alma. Vivo nos Estados Unidos no estado da California ha dez anos e definitivamente este ano rumo as malas para Cabo-Verde onde nao temos ouro e petroleo mas temos muito mais, “morabesa, hospitalidade”.Sai de Cabo-Verde assim como todos os caboverdianos que um dia partiram para os quatros cantos do mundo como um objectivo a cumprir e no fundo o desejo de voltar; ja cumpri o meu objectivo, gracas a Deus e ja e hora de investir na minha terra querida e disfrutar a tranquilidade do meu Cabo-Verde. Um abrasao.

A visualizar 2 artigos - de 1 a 2 (de um total de 2)