Colar de Sonhos

Início Fóruns Amizade/encontros/cumprimentos Colar de Sonhos

Este tópico contém 110 respostas, tem 11 utilizadores, com a última actualização feita por  kev Há 13 anos, 2 meses.

A visualizar 15 artigos - de 1 a 15 (de um total de 111)
  • Posts
    kev
    Membro

    ColarDeEstrelas,

    “Do que vale acordar se o que vivo é menos do que o que sonhei?”
    (Versos do menino que fazia versos)
    Mia Couto – O Fio Das Missangas

    “O coração é como a árvore – onde quiser volta a nascer”
    (Provérbio Moçambicano)
    Mia Couto – O Fio das Missangas.

    Abri este tópico para ti.
    Quando tiveres vontade, escreve, que todos iremos ler com prazer.

    Um abraço amigo,
    Cleópatra

    kev
    Membro

    Mais uma bela provocação!
    Gostei Cleópatra, é bom trazer o Mia Couto para as nossas conversas lusófanas.
    Vá lá Colar de Estrelas, seduz-nos!

    Luis Pedro Martins

    colardeestrelas
    Participante

    Cleopatra…

    a imagem que me veio, qd li o que tu e o Luís deixaram, foi de alguém, algures numa praia, fazendo uma fogueira, para que outros mais chegassem, e se sentassem de roda, e fossem contando, em jeito de quem canta, encantando em magia de contos e poemas, lendas, mitos ou meras gargalhadas…

    Soou.me a tertulia, a partilha de momentos.

    e aproveitando o embalo, deixo.vos um poema de uma africana, Alda Lara, poetisa que muito admiro…

    Anúncio

    Trago os olhos naufragados
    em poentes cor de sangue…

    Trago os braços embrulhados
    numa palma bela e dura
    e nos lábios a secura
    dos anseios retalhados…

    Enrolada nos quadris
    cobras mansas que não mordem
    tecem serenos abraços…
    E nas mãos, presas com fitas
    azagaias de brinquedo
    vão-se fazendo em pedaços…

    Só nos olhos naufragados
    estes poentes de sangue…

    Só na carne rija e quente,
    este desejo de vida!…

    Donde venho, ninguém sabe
    e nem eu sei…

    Para onde vou
    diz a lei
    tatuada no meu corpo…

    E quando os pés abram sendas
    e os braços se risquem cruzes,
    quando nos olhos parados
    que trazem naufragados
    se entornarem novas luzes…

    Ah! Quem souber,
    há-de ver
    que eu trago a lei
    no meu corpo…

    (agora em jeito de baile de roda, venha o próximo e deixe um pedaço de letras, poema, texto, frase ou canção…que todos aprendemos assim, conhecendo.nos, mostrando.nos, unindo.nos…)

    sorrisos pincelados de arco.irís…

    ColarDeEstrelas

    kev
    Membro

    Força, Colar.

    A provocação resultou.

    Vamos ver quem se chega mais à frente…

    Beijinhos

    Cleópatra

    kev
    Membro

    Vou Citar um amigo, Fernando Melro, in Poesia & Memória.

    “A Escrita

    Escritas
    as palavras
    são estátuas
    esculpidas.

    O granito
    é o silêncio
    e quem escreve
    as palavras
    é um vento erosivo.

    Quem escreve
    abre os veios
    da pedra silenciosa
    até que permaneçam
    estátuas as palavras
    jazendo escritas.”

    malakaia
    Participante

    ColarDeEstrelas e Cleópatra.

    Tal como vós, tb eu sou fã de Mia Couto bem como de outros escritores africanos. Deixo aqui uma dica sobre um livro de uma brasileira, Fernanda Cavacas, q “compilou” todos os vocábulos (re)inventados / (re)criados pelo Mia – “Mia Couto: Brincriação Vocabular”.

    Malakaia

    kev
    Membro

    Malakaia, obrigada.

    Trabalho interessante, esse. Sem dúvida. Vou anotar. Obrigada.

    Beijocas.
    Cleópatra

    colardeestrelas
    Participante

    Malakaia…

    Só o titulo do livro, já causa um sorriso de coisa boa…deve ser uma delicia de saborear, obrigada pela dica…:-)

    Rainha do Nilo…

    Já li que estás quase, quase com o pé a espreitar o sal do mar do Sal…;-)

    Estou certa de que vai doer e muito…o regresso! Prepara o coração para os embates de lugares que se vão tornar cativos…;-)

    De sorriso aberto, te desejo explosões de alegria, dádivas de mar e amar, e amar o mar…Virás mais rica, e a herança será nossa, pela partilha que o teu viver nos trará…

    entretanto, mais um poema:

    Geraldo Bessa Victor (Angola)

    “Poema para a Negra”

    Deixa que os outros cantem o teu corpo
    que dizem feiticeiro e sedutor,
    e, na volupia vã do pitoresco,
    entoem madrigais á tua dor.

    Deixa que os outros cantem teus requebros
    nos passos de massemba e quilapanga,
    e teus olhos onde há noites de luar,
    e teus beiços que teem sabor de manga.

    Deixa que os outros cantem os teus usos
    como aspectos formais da tua graça,
    nessa conquista facil do exotismo
    que dizem descobrir na nossa raça.

    Deixa que os outros cantem o teu corpo,
    na captaçãoo atonita do viço
    e fiquem sempre, toda a vida, a olhar
    um muro de mistério e de feitiço…

    Deixa que os outros cantem o teu corpo
    – que eu canto do mais fundo do teu ser,
    ó minha amada, eu canto a propria África,
    que se fez carne e alma em ti, mulher!

    ColarDeEstrelas

    kev
    Membro

    ColarDe Estrelas, obrigada pelas tuas doces palavras.
    De facto, mal posso esperar para aterrar no Sal.

    De Rita Ferro Rodrigues, in No Parapeito, pág 68:

    “Parabéns

    Como é que fazes?
    Tens um interruptor nos dentes?
    (É que cada vez que sorris, iluminas os sítios por onde passas…)
    E como é que consegues acordar, todos os dias, a cantar uma canção diferente?
    (Adormeço a saber que é a tua alegria que me vai acordar.)
    A vida, para ti, merece ser celebrada. É o que fazes (com a tua, nossa) todos os dias. Obrigada. Por isso, continuação de luz, música, beijos e travesseiros.
    Estarei sempre lá (entre a primeira fila, o corredor das pipocas e os camarins) a assistir ao grande espectáculo que é ver-te viver.”

    Cleópatra

    colardeestrelas
    Participante

    Cleo…

    Que escrever mais bonito esse, mulher!

    (amei, amei…)

    e hoje, em nome da lusofonia, aqui deixo…

    DA MINHA LÍNGUA VÊ-SE O MAR

    Uma língua é o lugar donde se vê o Mundo e em que
    se traçam os limites do nosso pensar e sentir. Da minha
    língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor,
    como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do
    deserto. Por isso a voz do mar foi a da nossa inquietação.

    (Vírgilio Ferreira)

    ColarDeEstrelas

    kev
    Membro

    Colar,

    Ecolheste outro escritor que amo de paixão.
    Eugénio de Andrade é outra das minhas paixões literárias. Perdi um livro dele que no outro dia queria citar.
    Fica Bem. Parto hje à noite para nos terra (do coração).

    Beijinhos
    Cleópatra

    geoff
    Membro

    Cleo,

    Boa viagem para ti e votos de muita boa estadia entre nós.

    APPina

    pris
    Membro

    A CLEOPATRA agora está na maior em CABO VERDE a curtir.
    Só de pensar que só vou em setembro vem-me á cabeça a musica do maior cantor português de todos os tempos ANTÓNIO VARIAÇÕES “É PRA AMANHA VEM PODIAS FAZER HOJE”.

    Ricardo Pit Bull

    colardeestrelas
    Participante

    em jeito de brinde à nossa Cleopatra, que está mergulhada na paixão do sentir, saber, e tocar a terra que nos encanta, deixo um poema…

    escrevi pensando nas ilhas, namorando as ilhas, cantando as ilhas…

    Rituais de Fogo Maior

    Veste.me, Embondeiro,
    do mar que te corre nas veias,
    ensaia raízes no corpo em que te sou guarida.
    Eu, Terra em explosão de Vida,
    gritando andorinhas do meu regresso.
    Guerreiro.

    Invade.me, Vulcão,
    do voo que te navega os sulcos.
    Percorre sem amarras, os gestos sôfregos de lume.
    Eu, Ar, que te invoco luta, em lábios cor de ciúme,
    mordendo, brava, o corpo em asas de respirar.
    Emoção.

    Desenha.me Rochedo,
    Nas lágrimas que te rasgam o ventre,
    envolve horizontes num suor de sonhos em desalinho.
    Eu, Água que te roubo as almas, esculpindo ninho,
    Ave.Angustia em sussurro de Tempo.
    Segredo.

    Enebria.me Miragem,
    do açúcar que te baila os beijos.
    Enlouquece de flores os ritmos de cheiro ardente.
    Eu, Fogo que te engulo os céus em guerra de semente,
    tremendo euforias num parto tribal.
    Selvagem.

    ColarDeEstrelas

    colardeestrelas
    Participante

    Cleopatraaaaaaaa

    Onde andas tu? tenho saudades das nossas tertulias, da tua serenidade envolta em ternuras tantas…:-)

    Sim, eu sei que deves estar cheia de trabalho, depois das férias…e que deves trazer a alma cheia de bem estar, e que te apetecem sossegos e lembranças, que te mantenham na pele o sal daquele mar, e no peito os abraços de quem tocaste…

    Maasss….sinto a tua falta aquiiiii…!

    Portanto, Companheira…

    senta aqui no chão comigo e dá ao mundo os ecos dos teus sentires…

    ~*~

    ColarDeEstrelas

A visualizar 15 artigos - de 1 a 15 (de um total de 111)

Tem de iniciar sessão para responder a este tópico.