Boavista – Estoril Beach Resort

Início Fóruns Hoteis/alojamentos/casas Boavista – Estoril Beach Resort

Este tópico contém 1 resposta, tem 1 utilizador, com a última actualização feita por  john_deft Há 13 anos, 3 meses.

A visualizar 2 artigos - de 1 a 2 (de um total de 2)
  • Posts
    john_deft
    Membro

    Caros forenses:

    Este fórum não serve apenas para ser o elogio cego daquele que é o destino de férias que mais adoro.

    Serve também para chamar atenção para alguns aspectos q podem tornar a nossa viagem em algo menos agradável.

    Regressei a semana passada de CV, nomeadamente das ilhas do Fogo e Boavista. Ilhas maravilhosas e espantosas, cada uma á sua maneira e onde a população uma vez mais excedeu as espectativas (sobretudo no Fogo).

    No entanto, tudo podia ter sido um mar de rosas, n fora a imensa nódoa que aquele belo pano teve: o hotel Estoril Beach Resort que de resort apenas tem o nome e os preços. E só falo nisto com tal indignação porque a publicidade que é feita a este hotel no seu site é totalmente enganosa e a prática confronta-nos com um hotel muito abaixo dos padrões de Cabo Verde (mesmo abaixo das pensões que a tantos deixa sempre um pezinho atrás). Provavelmente nem sempre foi assim. A gerência ao que soube é recente e pelos vistos não está a conseguir tomar conta do recado.

    Se virmos as fotos disponíveis na net, tudo parece acolhedor, mas uma vez lá o desleixo é a palavra de ordem: as toalhas não são trocadas, nem tão pouco o tapate de banho, as camas não são trocadas 2 vezes por semana (como eles publicitam no site), os quartos têm os rodapés caídos, as cortinas descaídas, as redes das janelas rotas ou rebentadas (o que é particularmente chato nos quartos do r/c que ficam sobre uma vegetação … espera-se baratas nos quartos). Por 2 ocasiões quisemos comer qualquer coisa a meio da tarde (tipo 3 da tarde) e disseram-nos que a cozinha estava fechada … foi preciso penar muito para conseguir uma miserável sandes. Os pequenos-almoços são no mínimo péssimos, sendo que tivemos direito até a um dia de pão duro (sem exagero devia ter 2 dias). Fruta?!? Nem pensar! O mais próximo que tivemos foi uma salada de frutas feita toda com fruta em calda. O pequeno-almoço era teoricamente servido até às 10:00. Pois chegou a acontecer (isto é mesmo verdade) faltarem 10 minutos para as 10 e ao chegarem alguns clientes não havia literalmente nada para comer! Já para não falar na enorme dificuldade que os empregados do hotel tinham em levantar as mesas. Um dia teve que um cliente estar a levantar a sua mesa para poder comer (estamos a falar de uma área que tem no máximo 10 mesas…), o que ao ar livre em CV é um verdadeiro maná para as moscas…

    Devido às obras circundantes do hotel, os acessos à praia são algo penosos: temos que atravessar uma zona de obras, a qual está suja e com algumas “ratoeiras” (ferros e coisas que podem magoar). Nem que fosse só por isto, eles deviam baixar os preços, porque o hotel não tem qualquer tipo de condições de funcionar como alternativa à praia: não tem nenhum espaço fresco com cadeiras (nem vale a pena falar na falta de piscina que os resorts normalmente têm) onde se possa refugiar do sol, porque o bar de apoio (onde existem espreguiçadeiras de praia pagas) fica, precisamente … na praia!!!! E a esplanada do hotel fica todo o santo dia ao sol!

    Naturalmente que tudo isto não retira nenhuma das qualidades da ilha e das suas gentes. E felizmente existem alternativas, quer em Sal-Rei (o Hotel da Boavista que me pareceu muito acolhedor e com um pequeno almoço pelo menos normal, o Migrante ou o Marine Club), quer em Chaves (o Hotel das Dunas Beach).

    O ponto aqui é mais um manifesto contra uma estrutura hoteleira, de investimento estrangeiro, que claramente engana os seus clientes. E já nos bastam os enganos do dia-a-dia, não precisamos bater de frente com eles durante as nossas férias!

    Telma

    john_deft
    Membro

    Telma, parece que te apanhei : )
    Não posso deixar de concordar contigo. Hotel muito mau, Gerência Italiana que se está a marimbar. Fruta, nem vê-la, mas sempre com a desculpa de que na ilha não há fruta. Pois se não há fruta, é um milagre irmos ao mercado e vê-la lá com tão bom ar.

    pcf

A visualizar 2 artigos - de 1 a 2 (de um total de 2)

Tem de iniciar sessão para responder a este tópico.